18 de dezembro de 2017

Por que um teólogo calvinista cessacionista não pode usar seu púlpito para cruzadas contra o aborto, a sodomia e o feminismo, mas pode usá-lo para cruzadas contra pentecostais e neopentecostais?


Por que um teólogo calvinista cessacionista não pode usar seu púlpito para cruzadas contra o aborto, a sodomia e o feminismo, mas pode usá-lo para cruzadas contra pentecostais e neopentecostais?

Julio Severo
A igreja precisa se preocupar com feminismo, homossexualismo, aborto e embustes de aquecimento global, pareceu sugerir um líder calvinista brasileiro na Conferência Nacional Ligonier de 2017 realizada em março passado.
Augustus Nicodemus at Ligonier lendo seu discurso no papel no momento exato em que ele disse que os pentecostais têm “experiências estáticas, emocionais e místicas.”
Ainda que o Rev. Augustus Nicodemus seja famoso entre calvinistas brasileiros, sua fama não alcançou o mundo pró-vida e pró-família. Em manifestações em massa contra o aborto e a agenda gay, não há a presença dele, enquanto muitos pastores pentecostais e neopentecostais adotam uma postura pública. O mais conhecido ativista cristão contra o aborto e a agenda gay no Brasil é Silas Malafaia, um famoso pastor assembleiano. Ele é adepto do neopentecostalismo.

Liberalismo teológico na universidade calvinista mais proeminente do Brasil

Em seu discurso na Conferência Nacional Ligonier, Nicodemus disse:
“Quando a igreja cede a erros internos e pressões externas, os efeitos são primeiramente sentidos em sua teologia. Então há mudanças na ética e moralidade da igreja. Deixa a Palavra de Deus de lado e segue o que a sociedade pensa sobre feminismo, homossexualidade e aborto. Torna-se mais, muito mais preocupada com aquecimento global do que com a santidade de Deus. Logo a adoração de Deus é afetada. Passa a refletir a centralidade dos homens e na veneração da cultura — teologia da glória. No final tudo isso expulsa a exposição bíblica dos púlpitos.”
Estava Nicodemus falando sobre a Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), onde ele era chanceler? O Mackenzie tem proeminentes professores que são:
* Defensores proeminentes do aborto. Numa audiência do Senado Federal em 6 de agosto de 2015, a professora da UPM Márcia Tiburi disse: “Vociferar contra o aborto é apenas um modo biopolítico de controlar a vida das mulheres. A legalização do aborto é parte fundamental de um processo democrático socialmente responsável.”
* Defensores proeminentes do homossexualismo. O professor da UPM Marcelo Moreira Neumann, autor da pesquisa “Bullying Homofóbico e Desempenho Escolar,” defende a neutralidade automática de gênero nos registros de nascimento.
* Defensores proeminentes do marxismo. O professor da UPM Osvaldo Coggiola tem vários livros defendendo o marxismo, inclusive a revolução cubana.
Então não é de admirar que um ativista gay radical tenha louvado a Universidade Presbiteriana Mackenzie por sua  visão secular, ainda que tenha sido fundada por calvinistas e seja oficialmente propriedade da Igreja Presbiteriana do Brasil.
O discurso de Nicodemus na Conferência Nacional Ligonier foi uma contradição total de sua gestão de 10 anos (2003 a 2013) como chanceler na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Sua saída da chancelaria do Mackenzie aconteceu depois que expus que ele havia convidado Jean Wyllys, um proeminente ativista gay, para um debate no Mackenzie.
O que explica o Mackenzie ter professores pró-aborto, pró-sodomia e marxistas?
Vamos tentar os próprios argumentos feitos por Nicodemus.
* A dona do Mackenzie, a Igreja Presbiteriana do Brasil, cedeu a erros internos e pressões externas?
* A dona do Mackenzie, a Igreja Presbiteriana do Brasil, teve mudanças na sua ética e moralidade?
* A dona do Mackenzie, a Igreja Presbiteriana do Brasil, deixou a Palavra de Deus de lado e segue o que a sociedade pensa sobre feminismo, homossexualidade e aborto?
Qual é a explicação para a Universidade Presbiteriana Mackenzie ter professores pró-aborto, pró-sodomia e marxistas? Talvez porque os chanceleres do Mackenzie tenham desperdiçado muito de seu tempo em cruzadas contra pentecostais e neopentecostais, mas não tenham usado seus púlpitos para cruzadas contra o aborto, a sodomia e o feminismo.
Entre presbiterianos do Brasil, há uma luta pelos cargos altamente remunerados do Mackenzie, os quais são muito cobiçados. Quem tem poder no Mackenzie tem poder garantido dentro da Igreja Presbiteriana do Brasil. Além de ocupar o cargo de chanceler, que lhe proporcionava um salário altíssimo, Nicodemus tinha grande poder tanto no Mackenzie quanto na IPB.
Nicodemus desperdiçou sua gestão de 10 anos no Mackenzie atacando pentecostais e neopentecostais, mas ele não atacou ativistas pró-aborto, pró-sodomia e marxistas, principalmente professores do Mackenzie.
As audiências evangélicas americanas adoram posturas conservadoras contra o aborto, a homossexualidade e o marxismo, e Nicodemus lhes deu exatamente isso na Ligonier. Mas por que ele não defendeu tais posturas na Universidade Presbiteriana Mackenzie?
A Conferência Nacional Ligonier foi idealizada por R.C. Sproul, um notório teólogo calvinista que era muito mais transparente em sua defesa cessacionista do que Nicodemus, cuja defesa cessacionista é evasiva e dissimulada. O cessacionismo é a teoria altamente polêmica de que profecias, revelações e outras manifestações sobrenaturais do Espírito Santo desapareceram depois da morte dos Apóstolos originais. Supostamente, de acordo com essa teoria, as pessoas hoje que têm tais dons são possuídas por demônios ou problemas psicológicos.
Nicodemus está completamente certo ao dizer que quando a igreja deixa a Palavra de Deus de lado, segue o que a sociedade pensa sobre feminismo, homossexualidade, aborto e embustes do aquecimento global. Em grau menor ou maior, essa é uma realidade em muitos púlpitos calvinistas no Brasil onde a Teologia da Missão Integral (a versão brasileira do Evangelho Social) predomina.
O foco desses púlpitos em questões sociais a partir de uma perspectiva esquerdista não se equipara a um foco igual de pregações antissocialistas de uma perspectiva conservadora. Não existe nenhum ativismo conservador calvinista no Brasil para se opor ao ativismo socialista dominante em púlpitos calvinistas.
O fato é que há uma escassez enorme em púlpitos calvinistas brasileiros de pregações conservadoras contra questões pró-aborto e antifamília. Então a explicação para sua escassez de posturas conservadoras é uma falta de preocupação com a santidade de Deus?
Em sua gestão como chanceler na Universidade Presbiteriana Mackenzie, Nicodemus tinha poder e autoridade de demitir professores pró-aborto, pró-sodomia e marxistas, mas ele nunca fez isso.
Em seu discurso na Conferência Nacional Ligonier, Nicodemus reconheceu:
“Ideias nascidas em universidades que tiveram uma origem cristã, tais como evolucionismo darwiniano, perspectiva naturalística do mundo e marxismo cultural, são alguns exemplos.”
A Universidade de Harvard é um exemplo. Nascida essencialmente calvinista, hoje é uma usina de força de bruxaria, marxismo, feminismo, homossexualismo e aborto. Em algum ponto, algum chanceler protestante de Harvard não demitiu professores pró-aborto, pró-sodomia e marxistas, e o resultado é uma Harvard apóstata. Nicodemus podia e devia ter aplicado suas lições no Mackenzie.
Nicodemus acrescentou:
“Os erros que os protestantes em geral e os reformados em particular cometeram… contribuíram para o declínio da igreja no Ocidente.”
Realmente. Harvard, que formou vários presidentes americanos e autoridades elevadas, tem contribuído para o declínio do Ocidente em geral e dos Estados Unidos em particular.

Socialismo na Igreja Presbiteriana do Brasil

Ainda que haja uma escassez enorme nos púlpitos calvinistas brasileiros de pregações conservadoras contra o feminismo, homossexualidade, aborto e embustes do aquecimento global, não há nenhuma escassez de ideias socialistas. Por décadas, os púlpitos calvinistas brasileiros têm pregado um evangelho falso chamado “Teologia da Missão Integral” (TMI), que é a versão protestante da Teologia da Libertação e é a versão brasileira do Evangelho Social dos EUA. Aliás, a TMI foi trazida ao Brasil no início da década de 1950 por um missionário presbiteriano americano adepto do Evangelho Social e de ideias marxistas. O missionário americano, Richard Shaull, se tornou professor de teologia no seminário teológico mais importante da Igreja Presbiteriana do Brasil. Ele formou uma geração de pastores presbiterianos no socialismo.
Em seu livro “Christian Faith and Marxism” (A Fé Cristã e o Marxismo), Shaull disse: “Meu encontro com o marxismo não estava fazendo de mim um marxista, mas um cristão melhor.”
No livro “Inquisição sem Fogueiras: Vinte Anos de História da Igreja Presbiteriana do Brasil” (publicado em 1982), o autor progressista João Dias de Araújo, que chamou Shaull de “teólogo precursor da Teologia da Libertação” (página 10), disse:
“Um dos líderes que exerceu poderosa influência [entre os jovens presbiterianos brasileiros] foi Richard Shaull. Ex-missionário presbiteriano na Colômbia, Shaull foi enviado pela Junta de Nova Iorque para o Brasil, em 1952. Foi eleito professor do Seminário Presbiteriano de Campinas, onde exerceu grande influência sobre seminaristas, por causa de sua grande cultura teológica e sua competência como mestre. Introduziu no seminário o pensamento da escola teológica ‘neo-ortodoxa’ de Barth, Brunner, Reinhold Niebuhr e outros.” (Página 37)
Segundo Araújo, Shaull “Despertou a mocidade para o sentido da ‘revolução social’ que devia ser feita no Brasil.” (Página 37)
O livro “Inquisição sem Fogueiras” traz uma lista considerável de pastores da IPB envolvidos no socialismo. O uso que Araújo fez de “Inquisição” se refere aos alegados “sofrimentos” que pastores e professores de teologia comunistas dentro da IPB passaram para propagar ideias socialistas. Ele chama a “perseguição” aos protestantes comunistas de “Inquisição Protestante.”
Mas a verdade é que enquanto as vítimas protestantes da Inquisição original sofriam e morriam por amor ao Evangelho de Jesus Cristo, as “vítimas” da “Inquisição Protestante” alegada por Araújo sofriam por amor ao “evangelho” de Karl Marx. Ele inventou uma “Inquisição Protestante” apenas para se encaixar em sua cosmovisão socialista.
A Igreja Presbiteriana do Brasil acabou produzindo dois importantes líderes que foram influenciados por Shaull: Rubem Alves, da Teologia da Libertação; e Caio Fábio, da TMI. Ambos se tornaram apóstatas.
João Dias de Araújo era pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, diretor de seminários e autor do livro “O Jovem Cristão e o Jovem Comunista,” publicado em 1964.
Mas o que de fato mudou anos depois? Sob a gestão de Nicodemus, a Universidade Presbiteriana Mackenzie tinha Ricardo Bitun como coordenador de cursos teológicos. Bitun é um proeminente defensor da Teologia da Missão Integral.
Se os líderes calvinistas brasileiros têm há décadas usado seus púlpitos para defender o liberalismo teológico da TMI, por que as cruzadas calvinistas supostamente conservadoras focam nos movimentos pentecostais e neopentecostais, não na TMI, feminismo, homossexualismo, aborto e embustes do aquecimento global?
Nicodemus é um exemplo de batalhador contra os neopentecostais. Ele tem vários artigos e livros contra eles, ainda que os ensinos e espiritualidade deles não estejam presentes na denominação dele e não sejam ameaça aos presbiterianos brasileiros. Contudo, ele não tem nenhuma cruzada, em artigos e livros, contra a Teologia da Missão Integral, um problema socialista que afeta diretamente muitas igrejas e púlpitos de sua denominação.
Enquanto as igrejas neopentecostais brasileiras estão empenhando-se contra a homossexualidade, aborto e outros males na sociedade brasileira, Nicodemus vem se empenhando contra essas igrejas.
Há um ditado: Quem tem telhado de vidro não deve atirar pedras no telhado dos outros. Como é que Nicodemus pode jogar pedras nos telhados dos neopentecostais quando seu próprio quintal presbiteriano está cheio de problemas? Em outras palavras, se ele pode se empenhar contra igrejas neopentecostais, por que ele não pode fazer cruzadas contra a Teologia da Missão Integral em seu próprio quintal presbiteriano?
O conservadorismo pentecostal e neopentecostal é mais perigoso do que a TMI, o feminismo, o homossexualismo, o aborto e embustes de aquecimento global?
Se olhos calvinistas ou reformados não conseguem ver a realidade, por meio da Bíblia ou de visões sobrenaturais, que muitos deles rejeitam em sua descrença cessacionista, Deus usará uma “pedra” (uma mente não cristã) para ver e clamar. Isso é o que está acontecendo.
Rodrigo Constantino, um escritor conservador secular e não protestante, publicou um artigo intitulado “O Liberalismo e a Teologia da Prosperidade,” escrito por Claudir Franciatto, que disse:
“Enquanto grande parte não evangélica da nossa sociedade se limita a chamar os pastores, bispos e apóstolos das igrejas neopentecostais de ‘ladrões’… [esses pastores, bispos e apóstolos] estão trazendo para o Brasil — sorrateira e imperceptivelmente — certo “espírito anglo-saxão” de coragem, desbravamento e atitude individual positiva, que forjou uma nação como os Estados Unidos, e nos faltava. E como nos fez falta sempre!”
Franciatto acrescentou:
“Os pastores [neopentecostais] não incitam o fiel a orar e ficar sentado, mas a agir – dentro e fora da igreja.”
Essa ação fora da igreja é em grande parte conservadora e capitalista.
Além disso, enquanto os presbiterianos no Brasil não são conhecidos por sua defesa de Israel, cristãos neopentecostais são os defensores mais vibrantes e declarados do Estado de Israel, inclusive realizando turismo de evangélicos brasileiros a Israel. Os pentecostais brasileiros, principalmente os neopentecostais, são os apoiadores mais importantes de Israel.
No entanto, os evangélicos não podem aceitar o “espírito anglo-saxão” de coragem, desbravamento e atitude individual positiva, porque teólogos influenciados por um calvinismo cessacionista pensam e pregam que a Teologia da Prosperidade é “heresia” — maior do que as heresias calvinistas brasileiras, inclusive a Teologia da Missão Integral.

Crescimento neopentecostal versus não-crescimento calvinista

Enquanto a maioria das igrejas calvinistas brasileiras, que não estão crescendo, está contaminada pelo liberalismo teológico esquerdista, a maior parte do crescimento de igrejas no Brasil é pentecostal e neopentecostal.
Nicodemus admitiu que a maior parte do crescimento de igrejas hoje está acontecendo na América Latina e África, e esse crescimento cristão extraordinário não tem nada a ver com igrejas calvinistas. Ele disse que a maioria desse crescimento é neopentecostal. Ele disse:
“Hoje, a África e a América Latina juntas representam 40 por cento do número total de cristãos no mundo. Então tem havido um movimento gráfico do centro do Cristianismo a partir do Norte para o Sul. Isso é o que chamamos de Sul Global, onde o Cristianismo está crescendo muito, muito rápido… Há outros sinais alarmantes do crescimento no Sul Global de formas estranhas de Cristianismo. Como o neopentecostalismo. Por exemplo, esse movimento é marcado por sincretismo com religiões populares e por ênfase forte na teologia da saúde e riqueza. Ou teologia da prosperidade. As igrejas neopentecostais usam um tipo de modelo de igreja que permite o surgimento de líderes totalitários, muitos dos quais se chamam apóstolos. Eles afirmam receber revelação direta de Deus.”
Ele também acrescentou: “Pregue a Bíblia e um dia eles despertarão e dirão: ‘Sou calvinista.’” No Brasil, América Latina e África está acontecendo exatamente o contrário. Nessas regiões, há pregação entusiástica e enorme do Evangelho e as audiências não estão despertando cessacionistas como Nicodemus. Aliás, elas estão fazendo o que Nicodemus não está fazendo e estão fazendo o que Jesus fazia: Pregando o Evangelho, curando os enfermos, expulsando demônios, apoiando Israel e avançando o conservadorismo.
Se despertar como calvinista é adotar a descrença contra o sobrenatural de Deus, a verdade é que a África e a América Latina não conhecem o calvinismo.
Nicodemus falou como se ele mesmo não fosse um líder totalitário no calvinismo brasileiro e como se revelação direta — quer por profecias e outras manifestações sobrenaturais do Espírito Santo — fosse impossível ou fosse experiência de OVNIs: completamente negativa e estranha à Bíblia, não apoiada pela Bíblia e nunca sentida por Jesus e Seus apóstolos.
Ele tentou fazer profecias, revelações e outras manifestações sobrenaturais do Espírito Santo parecerem como experiências exclusivas de indivíduos pentecostais e neopentecostais, não de cristãos na Bíblia. Mais enganado que isso, impossível. Cristãos hoje têm experiências e dons sobrenaturais pela mesma razão que cristãos na igreja do Novo Testamento tinham experiências e dons sobrenaturais.

Apresentação calvinista enganosa do neopentecostalismo

Aliás, ao conectar sincretismo à revelação direta, ele espera que seus leitores concluam que as igrejas neopentecostais no Brasil têm experiências demoníacas. Mas os esforços de Nicodemus falham de modo deplorável. A denominação neopentecostal mais sincrética do Brasil, a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), defende o aborto e rejeita completamente profecias e revelações para hoje. A IURD, que Nicodemus de fato usou na Ligonier como representando o movimento neopentecostal inteiro, não se encaixa no estereótipo que Nicodemus faz de sincretismo e revelações andando de mãos dadas em igrejas neopentecostais.
Em contraste, grandes igrejas neopentecostais brasileiras, como a Igreja Bola de Neve, não têm nenhum sincretismo e são pró-vida e pró-Israel, e adotam profecias, revelações e outros dons sobrenaturais do Espírito Santo. Meus artigos contra as posturas pró-aborto e cessacionistas da IURD são compartilhados por muitas igrejas neopentecostais e publicados no maior site pentecostal do Brasil.
Tenho os seguintes artigos sobre o fundador da IURD:
Mesmo assim, ao usar o exemplo isolado da IURD como se representasse todo o movimento neopentecostal, Nicodemus apresentou de forma adulterada o movimento neopentecostal inteiro do Brasil. As posturas pró-aborto, cessacionistas e sincréticas da IURD separam essa igreja de outras grandes igrejas neopentecostais. Com exceção da IURD, essas igrejas são forte e declaradamente pró-vida e pró-família, assumindo uma posição pública, a partir de seus púlpitos e de seus programas de televisão, contra o aborto e a agenda de sodomia.
Talvez a maior semelhança da IURD com outras igrejas neopentecostais seja seu forte apoio a Israel. Na Ligonier, Nicodemus mencionou negativamente tal apoio dizendo que a IURD “inaugurou em São Paulo uma réplica gigantesca do templo de Salomão.” Quando Marcelo Crivella, que era bispo da IURD, se tornou prefeito do Rio de Janeiro, seu primeiro ato foi celebrar sua vitória em Israel. Contudo, na heresia cessacionista, a IURD é muito mais semelhante à Igreja Presbiteriana do Brasil.
Ainda que o fundador da IURD, Bispo Macedo, se encaixe na acusação de Nicodemus de “líder totalitário,” Macedo nunca afirmou que recebe “revelação direta de Deus.” Pelo contrário, ele tem pregado e escrito que profecias, revelações e outras manifestações do Espírito Santo estavam disponíveis apenas 2 mil anos atrás e que essas manifestações hoje são demoníacas. Com relação a profecias e revelações, ele segue a heresia cessacionista.
A preocupação de Nicodemus com um sincretismo supostamente geral, mas incomprovado, entre igrejas neopentecostais é compartilhado pelo Rev. André Sidnei Musskopf, da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB). Musskopf, um homosexual que é professor de teologia e defensor da Teologia Gay, disse em seu livro “Viadagens Teológicas” que a Igreja Católica e as igrejas protestantes históricas têm tradições contra a homossexualidade. Mas você pode entender em seu livro que ambas igrejas não sabiam como lidar com o espiritismo e a bruxaria, que têm muito espaço para a homossexualidade. Ainda que tanto a Teologia da Libertação quanto a Teologia da Missão Integral sejam hostis ao neopentecostalismo, Musskopf, que é um adepto da TMI, disse:
“Mas foi o Neopentecostalismo que fez esta articulação de maneira mais completa, pois, além de encontrar maior aceitação entre as classes populares, ele ‘representa um movimento teológico de contato de cosmovisões nunca antes tocadas: do protestantismo europeu reformado e do novo mundo com o Brasil Católico ancorado na tradição afro e indígena.’”
Aliás, há exemplos de igrejas históricas que não sabem lidar com espiritismo e expulsão de demônios. O Rev. Marcos Amaral, da Igreja Presbiteriana do Brasil (a mesma denominação de Nicodemus), ficou famoso por se juntar a líderes das religiões afro-brasileiras para combater a “discriminação” contra a bruxaria. Em 2013, Amaral recebeu de sua denominação presbiteriana 100 mil reais para seu movimento anti-discriminação. Por que ajudar pais-de-santo a combater a “discriminação” contra suas atividades de bruxaria?
Nicodemus nunca pregou que a aliança que seu colega Amaral tem com adeptos da bruxaria é sincretismo. Ele está ocupado demais em suas cruzadas anti-neopentecostais que ele não tem nenhum tempo para denunciar seus amigos denominacionais por se juntarem com pais-de-santo?

Rejeição calvinista de expulsão de demônios

Em seu discurso na Ligonier, Nicodemus disse:
“Junto com isso, há uma busca forte pela presença de Deus por meio de experiências estáticas, emocionais e místicas. Tudo isso vem junto com uma cosmovisão em que todo o mal procede de demônios e que a única forma eficaz de ministério na igreja é por meio de expulsão de demônios.”
As experiências sobrenaturais de Atos 2, conforme experimentadas pelos Apóstolos, seriam descritas em termos semelhantes: experiências estáticas, emocionais e místicas. A verdade é que Nicodemus critica nos outros o que ele não tem em si mesmo. Em vez de ocupar seus sermões com a santidade de Deus, ele está bastante preocupado com pessoas que experimentam a presença do Espírito Santo, mas ele não está preocupado com Amaral, que não expulsa demônios de pais-de-santo, e ainda se junta a eles em iniciativas sociais para higienizar suas atividades de bruxaria.
Jesus tem o poder e a autoridade de libertar Amaral e os pais-de-santo de espíritos enganadores. Nicodemus tem dificuldade de permitir que Jesus o use para tais libertações?
Por que ele critica tanto ministérios na igreja que expulsam demônios? Jesus não passou muito tempo de Seu ministério expulsando demônios? Qual é o problema se um ministério na igreja hoje segue o que Jesus fez? Aliás, por que Nicodemus não investe seu tempo de um jeito melhor, em vez de criticar ministérios produtivos, pregando o Evangelho, curando os enfermos e expulsando demônios?
Enquanto o pastor presbiteriano Marcos Amaral se aproxima de pais-de-santo para lhes oferecer aliança contra a “discriminação,” pastores neopentecostais lhes oferecem o que Jesus oferece: libertação de espíritos demoníacos. Por que Nicodemus critica pastores neopentecostais que oferecem libertação, mas não critica Amaral e sua aliança presbiteriana com pais-de-santo?
Quem realmente está seguindo o ministério de Jesus: o Amaral presbiteriano ou os pastores neopentecostais?
Expulsão de demônios, falar em línguas, profecias, revelações e outros dons sobrenaturais do Espírito Santo não são apenas “experiências estáticas, emocionais e místicas,” conforme definidas por teólogos cessacionistas que não acreditam e não as aceitam em suas vidas. Elas nunca foram experimentadas apenas entre pentecostais. Desde os Apóstolos de Jesus e em toda a história cristã, onde quer que o Espírito Santo tivesse uma porta aberta numa pessoa ou congregação, ele os equipava por meio de Seus dons sobrenaturais.
Até mesmo entre calvinistas há teólogos renovados que aceitam falar em línguas, profecias, revelações e outros dons sobrenaturais do Espírito Santo para hoje. Dois exemplos são Wayne Grudem, autor da “Systematic Theology: An Introduction to Biblical Doctrine” (Teologia Sistemática: Uma Introdução à Doutrina Bíblica), publicada pela editora americana Zondervan, e J. Rodman Williams, autor da “Renewal Theology: Systematic Theology from a Charismatic Perspective” (Teologia Renovada: Teologia Sistemática a partir de uma Perspectiva Carismática), também publicada pela Zondervan.
Entre os luteranos, que foram pioneiros na Reforma, o Espírito Santo vem atuando onde uma porta esteja aberta. Em seu livro “Welcome, Holy Spirit: A Study of Charismatic Renewal in the Church” (Bem-Vindo, Espírito Santo: Um Estudo da Renovação Carismática na Igreja), publicado pela editora luterana Augsburg Fortress em 1987, na página 251, o teólogo luterano Larry Christenson disse:
“O Espírito Santo não é diferente hoje do que ele era nos dias da igreja primitiva. Ele ainda tem esse armazém inimaginável de dons espirituais para edificar o corpo de Cristo e trazer seu testemunho ao mundo. O ‘sacerdócio dos crentes’ (1 Pedro 2:9-10) torna-se funcional à medida em que as pessoas começam a descobrir e usar seus dons espirituais.”

Esperança calvinista: Pentecostais virando calvinistas

Nicodemus disse em seu discurso na Ligonier:
“Nos últimos anos, porém, tem havido uma reviravolta surpreendente com o surgimento da teologia conservadora e reformada entre protestantes no Brasil. Alguns fatores podem ser mencionados como causa de tal acontecimento. Primeiro as igrejas pentecostais clássicas depois de 100 anos no Brasil evangelizando as massas já alcançaram o máximo que podiam e deixaram muitos pentecostais famintos e sedentos por teologia mais bíblica e sólida. Eles a encontraram fácil na literatura reformada e puritana que nos últimos vinte cinco anos vem cada vez mais sendo publicada por várias editoras no Brasil. Como resultado, muitos pentecostais estão recorrendo às faculdades reformadas de teologia buscando treinamento em conhecimento mais abrangente do calvinismo. Novas igrejas independentes, reformadas na soteriologia, a doutrina da salvação, embora ainda pentecostais na liturgia, foram fundadas. Até mesmo a maior e mais tradicional editora pentecostal do Brasil tem disponibilizado livros de escritores reformados mais velhos que vocês. Eles estão publicando até MacArthur. Muitos livros. Contudo, uma coisa é clara. Que a fé reformada tem recebido o impulso fresco e poderoso por meio desses pentecostais influenciados pela teologia reformada. E quando as denominações tradicionais, históricas e reformadas no Brasil pareciam ir devagar, e se reformando devagar em sua identidade reformada, algumas pessoas estão dizendo que o futuro da Reforma no Brasil está vindo dos pentecostais que se tornaram reformados.”
Nocodemus estava se referindo apenas às Assembleias de Deus, a maior denominação pentecostal do Brasil, com 14.000.000 membros, de acordo com o “New International Dictionary of Pentecostal and Charismatic Movements” (Novo Dicionário Internacional de Movimentos Pentecostais, Neo-Pentecostais e Carismáticos), publicado pela editora americana Zondervan. Em comparação, a denominação presbiteriana de Nicodemus tem apenas 649.510 membros, de acordo com as estatísticas oficiais de sua igreja em 2016.
Para ele, as Assembleias de Deus já alcançaram o máximo que podiam e deixaram muitos pentecostais famintos e sedentos por teologia calvinista cessacionista. Para ele, as Assembleia de Deus alcançaram um ponto de esgotamento e precisam agora do calvinismo cessacionista.
Nicodemus reconhece que a sobrevivência de sua denominação presbiteriana e até mesmo do calvinismo no Brasil depende da calvinização das Assembleias de Deus. Isso é realidade na Universidade Presbiteriana Mackenzie, onde a maioria dos estudantes de teologia são jovens das Assembleias de Deus. Mesmo com um número elevado de estudantes pentecostais, a Universidade Presbiteriana Mackenzie, que permite professores pró-aborto, pró-sodomia e marxistas, não dá nenhum espaço para aceitar dons carismáticos para hoje. Sua doutrina oficial é o cessacionismo.
A calvinização das Assembleias de Deus trouxe um efeito colateral desagradável: a Teologia da Missão Integral, que está presente entre presbiterianos brasileiros, inclusive a denominação de Nicodemus desde a década de 1950, está sendo aos poucos adotada por pastores e membros das Assembleias de Deus. Isto é, por meio da calvinização, o liberalismo teológico está penetrando os pentecostais, principalmente suas instituições teológicas, no Brasil.
Ainda que Nicodemus use seu cargo importante para atacar igrejas neopentecostais, mesmo por nome, as Assembleias de Deus são poupadas porque, diferente das igrejas neopentecostais, muitos pastores e membros das Assembleias de Deus estão, conforme Nicodemus reconhece, buscando instituições teológicas presbiterianas.
Nicodemus acredita que as Assembleias de Deus podem ajudar sua denominação presbiteriana a crescer trazendo seus membros pentecostais com suas experiências sobrenaturais que estão minguando. Eles são presas fáceis para uma teologia cessacionista que hoje faz sentido em suas vidas que mal experimentam o sobrenatural de Deus.
Quando as Assembleias de Deus foram fundadas no Brasil mais de 100 anos atrás, havia uma explosão de profecias, curas, expulsão de demônios, etc. Hoje, as Assembleias de Deus são uma imagem pálida de seu passado espiritual. Enquanto muitas igrejas neopentecostais têm profecias, curas e expulsão de demônios, as Assembleias de Deus têm em muitos casos perdido esse toque espiritual. As Assembleias de Deus são donas da maior editora pentecostal do Brasil. Essa editora tem publicado livros de calvinistas cessacionistas, inclusive John MacArthur, um teólogo calvinista que denuncia o movimento pentecostal como “demoníaco.” Então a maior editora assembleiana do Brasil está apoiando as opiniões antipentecostais de MacArthur ao publicar vários de seus livros.
Nicodemus vê grande esperança para as Assembleias de Deus: Sua experiência sobrenatural diminuindo está tornando-as mais similares a ele e sua denominação presbiteriana, cujos cultos são destituídos de profecias, curas, expulsão de demônios, etc. Ele não vê nenhuma esperança para as igrejas neopentecostais.
Entretanto, talvez no futuro, se as igrejas neopentecostais perderem sua vitalidade espiritual, ele possa ver alguma esperança.
Nicodemus não pode usar seu cargo importante para fazer cruzadas contra a TMI, o feminismo, a homossexualidade, o aborto e os embustes de aquecimento global, porque ele está ocupado demais denunciando os neopentecostais. Ele está tão ocupado que ele não pode lançar nenhuma cruzada conservadora para refutar o ativismo socialista dominante em muitos púlpitos presbiterianos.
Embora ele condene experiências com dons sobrenaturais como apenas “experiências estáticas, emocionais e místicas,” seus ataques são reservados somente às igrejas neopentecostais. As Assembleias de Deus são poupadas porque estão experimentando uma diminuição dessas experiências. E isso é bom, na opinião dele.
Excluindo a IURD, que é pró-aborto e cessacionista, as igrejas neopentecostais são firmemente conservadoras e pró-Israel, em seus púlpitos e atividades sociais, não temendo assumir uma postura pública contra a homossexualidade e o aborto. Elas estão fazendo cruzadas contra esses males na sociedade brasileira.
Nicodemus e sua denominação presbiteriana deveriam também ser, em seus púlpitos, tão firmemente conservadores e pró-Israel como são as igrejas neopentecostais.
Nicodemus deveria mostrar no Brasil o que ele mostrou em seu discurso na Ligonier para audiências conservadoras nos EUA: posturas conservadoras contra a TMI, o feminismo, a homossexualidade, o aborto e embustes de aquecimento global.
Ele pode também denunciar o Bispo Edir Macedo e sua postura pró-aborto. Mas ele não deveria se esquecer de que Macedo é, com relação a profecias e revelações, tão cessacionista quanto ele mesmo é.

Conclusões

Se Nicodemus e a Igreja Presbiteriana do Brasil não podem se envolver num ativismo conservador contra o ativismo socialista em seus próprios púlpitos presbiterianos, por que gastar tempo atacando igrejas neopentecostais que estão fazendo avanços conservadores no Brasil?
Nicodemus disse na Ligonier:
“O que estou dizendo é que estamos vivendo numa época em que a estrutura de igreja tradicional tem sido questionada. Para muitos esta é uma época pós-denominacional. Lamento dizer, mas muitas denominações históricas não estão conseguindo se reformar e se adaptar rápido o suficiente aos novos tempos.”
Para ele, as igrejas calvinistas não estão crescendo porque não estão se reformando, o que significa que precisam de mais calvinismo, o suficiente para pregar contra “experiências estáticas, emocionais e místicas.” Isso seria uma nova onda de fanatismo, pois os teólogos e blogueiros calvinistas do Brasil passam a maior parte de seu tempo atacando os neopentecostais.
Ao se opor mais ao crescimento neopentecostal e seu avanço conservador e pró-Israel, o calvinismo cessacionista de Nicodemus acabará se tornando um aliado poderoso das forças esquerdistas seculares, que odeiam e atacam sistematicamente o crescimento conservador do neopentecostalismo.
Conclusão calvinista cessacionista, com base no discurso de Nicodemus na Conferência Nacional Ligonier de 2017:
* O calvinismo cessacionista é mais importante do que as igrejas neopentecostais que estão avançando o conservadorismo.
* O Cristianismo está crescendo muito, muito rápido no Sul, e esse crescimento tem tudo a ver com igrejas pentecostais e neopentecostais, mas o calvinismo cessacionista é mais importante do que esse crescimento.
* O calvinismo cessacionista é mais importante do que posturas pró-Israel.
* Nicodemus em particular e Ligonier em geral sustentam que as igrejas pentecostais e neopentecostais têm “experiências estáticas, emocionais e místicas,” que são menos importantes do que as experiências teológicas calvinistas cessacionistas.
* Igrejas reformadas, ou calvinistas, no Brasil não estão aumentando e sua única esperança de sobrevivência são os pentecostais (principalmente líderes e membros das Assembleias de Deus) virando calvinistas.
Se Nicodemus vivesse na época de Jesus, ele teria muita dificuldade de se identificar com o ministério de Jesus, mas ele teria tido muita facilidade de se relacionar com as preocupações teológicas dos fariseus. Quando os fariseus viam Jesus expulsando demônios, eles o acusavam de possessão demoníaca. É difícil ver um Nicodemus se portando de modo diferente. E se todos os evangélicos brasileiros, que são em grande parte pentecostais e neopentecostais, fossem como Nicodemus, o Brasil perderia sua minoria conservadora que mais apoia Israel.
Minha conclusão: Se as igrejas neopentecostais se ocupassem em atacar as igrejas calvinistas cessacionistas como as igrejas calvinistas cessacionistas se ocupam em atacar as igrejas neopentecostais, as igrejas neopentecostais não teriam tempo para pregar o Evangelho, curar os enfermos, expulsar demônios, apoiar Israel e avançar o conservadorismo.
Leitura recomendada:

16 de dezembro de 2017

Cerca de 25% dos adolescentes dos EUA fumam maconha


Cerca de 25% dos adolescentes dos EUA fumam maconha

(CNBC) Cerca de 25% dos adolescentes dos EUA estão usando maconha, de acordo com uma pesquisa recente.
Dos estudantes dos graus 8, 10 e 12 entrevistados, 24% disseram que havia usado a droga no ano passado, de acordo com uma pesquisa da Universidade de Michigan. O aumento de 1,3 por cento é o primeiro aumento significativo em sete anos.
O aumento no número de adolescentes usando maconha ocorre enquanto mais estados dos EUA estão legalizando a maconha para uso médico e recreativo.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do WND (WorldNetDaily): Nearly 1/4 of teens now smoke pot
Leitura recomendada:

14 de dezembro de 2017

Patheos ataca Julio Severo por mencionar origem islâmica da Estátua da Liberdade


Patheos ataca Julio Severo por mencionar origem islâmica da Estátua da Liberdade

Julio Severo
Em seu artigo no Patheos “Wingnut: Statue of Liberty a ‘Pagan Curse’ on America” (Doido: Estátua da Liberdade É uma “Maldição Pagã” sobre os EUA) o autor ateu Ed Brayton disse:
“Exatamente quando você achava que os doidos não poderiam ficar mais ridículos, eles dão um jeito de superar seu próprio recorde mundial por disparate total. Julio Severo, um blogueiro brasileiro, escreve — como seria de esperar — no BarbWire que a Estátua da Liberdade é um símbolo pagão que tem amaldiçoado os EUA. Porque o islamismo isso e aquilo.”
Então ele acrescentou que a Estátua da Liberdade não tem “absolutamente nada a ver com o islamismo,” como resposta direta ao meu artigo no BarbWire “Statue of Liberty, a Pagan-Islamic Curse on America?” (cuja versão em português é: “Estátua da Liberdade, uma maldição pagã-islâmica sobre os EUA?”)
Patheos e Brayton conseguiram desmentir meu artigo no BarbWire? De forma alguma.
* Um artigo intitulado “A Estátua da Liberdade Era Originalmente uma Mulher Muçulmana” do Instituto Smithsoniano diz exatamente o contrário de Patheos e Brayton. O Instituto Smithsoniano é um grupo de museus e centros de pesquisas administrados pelo governo dos Estados Unidos.
* Há também um artigo do jornal DailyBeast intitulado “A Estátua da Liberdade Nasceu Muçulmana.”
Isso é suficiente? Estamos ouvindo o ateu Ed Brayton chamando o Instituto Smithsoniano e o DailyBeast de “doidos”?
Parece que Brayton não gosta de usar o Google para pesquisar em busca de respostas muito básicas. Esse problema é generalizado entre esquerdistas. Eles não gostam de respostas. Mas eles gostam de causar confusão. O site “Socialista Obstinado” me criticou pela mesma razão de Brayton.
Brayton encerrou seus ataques dizendo:
“Pessoas muitas vezes me perguntam por que escrevo sobre essa gente e suas ideias bizarras. A resposta, pensaríamos, deveria ser óbvia: Porque há muitas pessoas no mundo que realmente acreditam nessas coisas. Milhões e milhões delas. Elas influenciam eleições. Elas dirigem órgãos governamentais. Elas ocupam direção de universidades e projetam currículos de homeschoolilng. Suas ideias são divulgadas em sites como BarbWire, cujo dono é um cara que era assistente do reitor da Faculdade de Direito da Universidade Liberty, que tem influência imensa na Direita evangélica. Precisamos jogar luz nessa ideologia insana, em vez de ignorá-la.”
O artigo anticonservador de Brayton foi publicado no Patheos, um site que contém uma salada infernal de escritores religiosos e não-religiosos. A primeira vez que vi Patheos achei que eram ateus, pois vi escritores ateus entre seus colunistas. Aliás, Patheos é mencionado no artigo “Observatório da Direita, da entidade esquerdista americana People for the American Way, coloca Julio Severo na lista negra” por sua crítica à minha opinião sobre demônios.
Sou o único cristão conservador atacado por Patheos? De forma alguma.
No artigo “Mulheres Cristãs Reunidas em Washington Marcharão contra o Feminismo e o Aborto,” Patheos criticou as mulheres cristãs que protestariam contra o feminismo e o aborto. A autora da crítica é a ateia Sarahbeth Caplin.
No artigo “Prezado Conservador Cristão: Uma Carta Aberta de uma Ex-Evangélica,” uma “cristã” progressista do Patheos que abandonou o evangelicalismo exorta leitores evangélicos a abandonar o evangelicalismo e o conservadorismo. Ela terá muita dificuldade em sua missão, pois nenhum evangélico conservador verdadeiro leria Patheos.
Os ateus não são os únicos escritores em Patheos, que tem também os seguintes colunistas:
* Brian McLaren, um pastor protestante progressista que apoia o “casamento” gay.
* Qasim Rashid, um escritor muçulmano.
* Brad Hirschfield, um escritor judeu esquerdista.
* Vivianne Crowley, alta sacerdotisa da Wicca (religião de bruxaria).
* Bristol Palin, filha da ex-candidata presidencial dos EUA Sarah Palin.
* Frank Schaeffer, “cristão” progressista que é o filho do falecido teólogo e escritor reformado conservador Francis Schaeffer. Frank se tornou um ativista esquerdista pró-aborto e pró-sodomia e hoje ele ataca todas as posturas conservadoras de seu pai.
Patheos tem muitos outros escritores “cristãos” progressistas, ateus, muçulmanos, pagãos e espíritas. Se você não é conservador, você é bem-vindo em Patheos! Não é um lugar para verdadeiros seguidores de Jesus Cristo.
Entretanto, é o lugar perfeito para doidos esquerdistas como Ed Brayton, que me chamou de “doido” porque progressistas, socialistas e esquerdistas têm um hábito terrível de acusar suas vítimas do que eles são.
Três anos atrás, Brayton usou o mesmo xingamento contra mim. Ele também rotulou o astro do cinema Chuck Norris de “retardado” porque Norris disse que se Obama fosse eleito em 2012, o socialismo dele levaria os EUA a mil anos de escuridão.
Ao repetir “doido” para si mesmo ele espera convencer sua mente ateísta de que sou o que ele é.
Contudo, ele se engana tanto nesse esforço quanto na ideia de que a Estátua da Liberdade não tem nenhuma origem islâmica.
No que depender de doidos “cristãos” progressistas, ateus, muçulmanos, pagãos e espíritas, a Babilônia religiosa anticristã de Patheos abençoará um ídolo pagão-islâmico em Nova Iorque que está amaldiçoando os Estados Unidos
Leitura recomendada:
Leitura recomendada sobre a Esquerda dos EUA contra Julio Severo: